Dicas de segurança em Brasília – Como ficar seguro na capital federal?

Brasília é uma cidade modelo em vários aspectos (e não poderia ser diferente, pois trata-se da capital federal) mas a segurança pública ainda deixa a desejar – como em todas as partes do país, diga-se de passagem. No Distrito Federal a maioria das pessoas prefere comprometer um pouco o orçamento doméstico para investir na segurança privada, na tentativa de encontrar recursos para não ser vítimas da onda de violência, a acreditar na iniciativa pública.

O que fazer, então, para ficar seguro na capital federal por conta própria?

A primeira coisa a se fazer é procurar uma boa empresa de vigilância privada, segurança ou rastreamento. São elas que vão fornecer ao cliente um leque de serviços para que ele possa escolher qual mais lhe atende. Um dos recursos que exige menor investimento é a cerca elétrica, geralmente o item mais barato da Central de Monitoramento em Brasília das empresas de vigilância privada. As empresas também escoam muito o item alarme monitorado em Brasília, que funciona como um “vigia” eletrônico: quando alguém aciona o alarme com uma senha, ele só desliga quando for desativado, também com senha. Ao menor sinal de movimento, ele apita – e o sinal vai direto para a central de monitoramento, que fornece ajuda necessária em caso de invasão de domicílio, acionando as autoridades competentes.

Se você mora no Distrito Federal, mas nunca pensou em ter um alarme monitorado (ou não pode investir em uma tecnologia dessas), ou se mora em apartamento, é possível fazer sua própria segurança de forma simples e eficaz. Basta seguir dicas básicas de nunca andar sozinho por locais ermos, ter sempre atenção ao entrar nas garagens, para perceber se alguém te seguiu ou está espreitando sua entrada e evitar colocar nos molhos de chave chaveiros que possam dar pistas de onde as chaves pertencem, como de escritórios, por exemplo.

Porém, a principal dica, independente se você possui verba para investir em segurança é a seguinte: escolha muito bem em quem votar nas próximas eleições. Isso mesmo, os políticos são os responsáveis em transformar todos os impostos que pagamos, ano após ano, em melhorias para a população. Hoje, será que esse dinheiro retorna em investimentos no país, como deveria ser? Fique atento quanto as suas escolhas e nunca deixe de cobrar os nossos representantes, para que assim, tenhamos mais segurança em nossas ruas, avenidas, parques, escolas, comércio…

Proibido Fumar – Conheça o porque parar de fumar faz sentido para sua vida

O tabaco é responsável por uma série de doenças. Ficar exposto a todas toxinas presentes na fumaça gera uma infinidade de problemas para saúde, problemas que podem se apresentar no pulmão, evoluindo para doenças cardiovasculares.

São inúmeros avisos e campanhas para alertar os malefícios do cigarro para a vida do fumante. Mas não custa utilizar o espaço do site para informar, mais uma vez, sobre todos os problemas decorrentes dessa droga. Como foi dito acima, o fumante pode sofrer com doenças cardiovasculares, listamos alguns desse efeitos:

  • acidente vascular cerebral;
  • ataque cardíaco;
  • angina de peito;
  • arteritis dos membros inferiores;
  • gangrena;
  • aneurisma da aorta abdominal;
  • hipertensão;
  • aterosclerose;
  • alterações do ritmo cardíaco isquêmico;
  • morte súbita.

E engana-se quem pensa que os efeitos listados acima são apenas em pessoas mais velhas. Até mesmo os fumantes mais novos, que tiveram uma exposição menor às tôxinas, podem sofrer qualquer uma dessas consequências. Vale reforçar: O tabagismo é a causa de mais da metade das mortes por doenças cardiovasculares.

Câncer provocado pelo cigarro

O tabagismo é responsável por mais de 30% de todas as mortes por câncer. E o câncer de pulmão naõ escolhe idade. Assim como os problemas cardiovasculares, o câncer provocado pelo cigarro mata cada vez mais jovens que acreditam estar imunes, pelo menos agora, dos malefícios do tabagismo. Além disso, o câncer de pulmão não escolhe quem ele ataca, independente se o fumante é homem e mulher.

Além do câncer de pulmão, uutros tipos de câncer podem se desenvolver por conta do uso intenso do cigarro. Veja:

  • Câncer de laringe;
  • Câncer de esôfago;
  • Câncer gástrico;
  • Câncer no pâncreas;
  • Câncer do colo do útero em mulheres jovens;
  • Câncer de bexiga;
  • Câncer do rim e do trato urinário;
  • Certos tipos leucemias.

Também tem as doenças respiratórias

O número de fumanetes que morrem por conta de doenças respiratórias aumenta a cada ano. Entre os principais tipos de doenças respiratórias causadas pelo cigarro, estão:

insuficiência respiratória;
enfisema pulmonar;
bronquite crónica;
infecções de ouvido agudas, traquéia, brônquios e pulmão.

Essas doenças podem começar sem que o fumante perceba e, ao se instalar, pode ser tarde de mais. Tudo pode começar com uma simples crise de tosse, evoluindo para falta de ar e bronquite. Após isso, o quadro pode evoluir para doenças broncopulmonares. Em todos esses casos citados, o tabagismo é o principal fator de risco. Quem sofre com qualquer uma dessas doença citadas passa por longos períodos de deficiência, que são caracterizados por dispnéia progressiva.

São tantos malefícios que o usuário do tabaco enfrenta que a pergunta que fazemos é: “O que você está esperando para começar a parar?” É claro que entendemos que o fumante é um viciado que precisa de ajuda para largar o vício, porém, ajuda existe, basta que a vontade parta de quem precisa se livrar do problema, no caso, o fumante. Se você vive esse dilema, procure compreender que você tem muito mais a ganhar largando o cigarro. Começa agora mesmo essa batalha e tenha uma nova vida!

Tipos de Travesseiro. Conheça os tipos de travesseiros

 

Quem nunca foi ao mercado, ou loja especializada, e se deparou com uma infinidade de tipos de travesseiros e se perguntou: “Qual a diferença entre esses travesseiros?” Esse questionamento é muito comum entre nós, por isso, o site preparou um post especial falando sobre alguns desses tipos de travesseiros que encontramos à venda. Confira abaixo cada um deles:
Travesseiros de espuma compacta ou poliuretano – não cede facilmente ao peso da cabeça, por isso, não varia a altura do travesseiro durante a noite. É pouco macio.
Travesseiros de flocos de espuma – os espaços entre os pedaços de espuma os deixam mais macio. Entretanto, os flocos soltos podem se deslocar para os cantos da fronha durante a noite.

Travesseiros de espuma viscoelástica ou “Travesseiro da Nasa” – é um tipo de espuma de última geração, que se adapta ao contorno e à temperatura do corpo, facilitando a circulação sanguínea e prevenindo dores musculares. A sensação é de estar deitado com a cabeça sobre uma nuvem, pois não há pressão contrária da espuma.
Travesseiros espuma látex – este material recebe tratamento antiácaro e, por ter uma estrutura perfurada, favorece a ventilação do travesseiro. Confortável, ele dispõe de apoio ideal para todas as posições. Entretanto, como é de “borracha”, exerce pressão contrária ao peso da cabeça, o que pode significar dores na cervical quando a pessoa costuma mexer-se na cama durante a noite.
Travesseiros de plumas e penas de ganso– estes são os modelos mais macios, moldáveis e leves de travesseiro. Eles se ajustam facilmente ao formato da cabeça e costumam estar presente nos ambientes mais sofisticados. Por outro lado são os que mais acumulam fungos, ácaros e bactérias, além de não serem estruturados o suficiente para alinhar a cervical com o tronco quando estamos deitados de lado (posição mais comum). Se sua opção for essa, troque-os com muita frequência.
Travesseiros de fibra e microfibra – também conhecido como pluma sintética de poliéster siliconada, é um material bem flexível e por ser sintético pode gerar calor em demasia, bem como reações dermatológicas. Fique atento quanto a este tipo de travesseiro.
Travesseiro de ervas  utilizado pelos adeptos da aromaterapia, acredita-se que um travesseiro com ervas pode melhorar a qualidade do sono. O alecrim amenizaria dores de cabeça. A camomila seria tranquilizante e a macela combateria a insônia. Porém, fique atento: não há qualquer comprovação destes efeitos, senão quanto ao perfume em si. Pessoas alérgicas devem evitar este tipo de travesseiro. Além disso, não oferecem sustentação correta à coluna cervical, pois as ervas se movem para as laterais do travesseiro e deixam a cabeça em má posição durante o sono.
Então, gostou das dicas sobre os tipos de travesseiros? Escolheu o seu? Já utiliza algum desses? Compartilhe suas experiências com o site e com os leitores.